Tempo estimado de leitura: 5 minutos

PVE encerra primeiro ciclo de 2018 com atividades em 105 cidades

Programa dobrou de tamanho e realiza ações voltadas à melhoria da gestão educacional e escolar

O programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE) existe há 10 anos e, desde o início, tem articulado gestores, famílias, funcionários das empresas e demais segmentos da sociedade que possam contribuir com esse processo. Em 2017, aconteceu em 51 municípios. Em 2018, ano em que a Votorantim comemora 100 anos de existência, a educação foi o tema escolhido para a celebração e, com isso, o PVE estendeu sua presença para 105 cidades brasileiras.

Em fevereiro deste ano, foi realizada a Oficina de Pactuação PVE 2018, em São Paulo (SP), com a presença de representantes de 103 secretarias municipais de educação e das empresas da Votorantim. O evento colocou em discussão os desafios e as estratégias de implementação das ações nos municípios. Nas semanas seguintes ao evento, outras duas novas cidades aderiram ao programa.

Entre as principais atividades realizadas nos dois primeiros meses estão as reuniões formativas com secretarias municipais de educação e com técnicos formadores de gestores escolares, reuniões formativas com gestores escolares (diretores e coordenadores pedagógicos) e grupos de mobilização. Parte das cidades também já iniciou as oficinas do Desafio Criativos da Escola, iniciativa do Instituto Alana que conta com o apoio do Instituto Votorantim, além de outras atividades relacionadas ao protagonismo juvenil.

As ações de formação e mobilização são orientadas pelo Cedac (Comunidade Educativa) e pelo Cenpec (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária). No primeiro ciclo, o trabalho realizado nas cidades teve uma perspectiva de diagnóstico de desafios e potenciais da educação de cada município. Já para o ciclo que se inicia, o Parceria Votorantim pela Educação deve acompanhar o plano de ação desenvolvido a partir do cenário identificado.

Gestão com foco na aprendizagem

Em 2018, o PVE está voltado ao tema da “Gestão com Foco na Aprendizagem” e, por isso, apoiará os gestores na análise de resultados e qualificação das rotinas de acompanhamento e formação, a fim de que os alunos aprendam mais, melhor e no tempo certo.

Para isso, irá considerar as diferentes realidades e experiências por onde o programa já passou em todos esses anos, além dos aprendizados desenvolvidos ao longo de sua história. “Com as secretarias municipais envolvidas neste grande tema de gestão, queremos apoiar a realização de ações já previstas por cada localidade, ou fazer parte de novas ações que podem surgir como necessidade, após a análise do cenário da rede”, explica Camila Fattori, coordenadora de projeto no Cedac.

Neste primeiro ciclo, foram apresentados aos técnicos das secretarias municipais de educação possíveis focos de atuação, como: formação de profissionais de educação, organização da rede escolar local, articulação de discussões de gestão com a revisão de currículo municipal a partir da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), condições para melhoria da leitura na rede e gestão da avaliação.

“Após o diagnóstico realizado por cada secretaria, os municípios escolheram o foco de atuação que desejam receber apoio do PVE para impulsionar a gestão educacional local. Assim, no segundo ciclo, a partir do foco escolhido, trabalharemos as metas, planejamentos e ações para alcançar as melhorias desejadas para a educação de cada cidade”, complementa Maria Guillermina Garcia, coordenadora do Cenpec no programa.

Mobilização e engajamento em rede

O grande número de envolvidos nas 105 cidades onde acontece o programa permite que milhares de alunos sejam impactados, direta e indiretamente. Mas, ao mesmo tempo em que possui braços em todas as regiões do país, o Parceria Votorantim pela Educação tem uma grande preocupação em adaptar-se às diferentes realidades, considerando que cada experiência local acrescenta valor à construção de uma rede que busca educação de qualidade para todo o país.

Nesse mapa de diversidade, o PVE vem contribuindo para transformar práticas individuais e estruturar redes sociais locais em prol da educação. O tema da leitura e o protagonismo juvenil têm sido trabalhados nas ações de mobilização como um fio condutor que colabora para esta mobilização.

“Para além das diversas ações de formação com as equipes da secretaria e da gestão das escolas, que tem como foco a gestão da aprendizagem, estamos apoiando ações de mobilização social pela educação nos municípios. O objetivo é constituir e fortalecer redes locais pela educação. Nesse sentido, o tema da leitura neste ano é um mote mobilizador para animar as pessoas a se integrarem a esta rede”, explica Anna Christina Nascimento, gestora do programa.